16 maio 2009

DA DESPEDIDA




Apesar da tua "partida",

hay en mi boca tu gusto.

Ao longo do caminho,

teus rastros totais:

na pele a tua marca - dibujo,

em caderno-corpo sem pauta.

Compondo a alma,

impressões a "ferro e fogo"

dos sentires plenos.

E dentro da calcinha,

frio silencioso de noite sem estrelas,

mas palpitante primavera

sem despedida do teu toque...


Veronica de Nazareth-Noic@

7 comentários:

  1. Olá Verônica Morena de Nazaréth...rs.

    Existem poemas e poemas, cada qual com uma carga semântica, cada qual com suas verdades intrínsicas. Ora escondem o poeta, ora entregam a todos os olhos...
    A tua poesia tem que de magia...um descaramento sentido, algo que espeta e acaricia...eu naõ sei dizer. Apenas fico a admirar e a reler...

    Sei que poetas iguais a ti, a nós, somos sempre passionais e em 1ª pessoa...por isso a carga de sentimentos enovelados é muito maior.

    Parabéns Verônica Morena!

    Abraço terno a ti.



    daufen bach.

    ResponderExcluir
  2. SEUS POEMAS VÃO CONTANDO A HISTÓRIA, A CADA VERSO, DO GRANDE AMOR LATENTE... IMORTAL, CONTAGIANTE.
    UM LINDO POETAR MINHA AMIGA, QUE NESTA CASA/HOMENAGEM SE FAZ PERPÉTUO.
    BEIJO*

    ResponderExcluir
  3. Presença que deixa marcas, que deixa sabor, que deixa cheiro, ainda que se sinta falta, ainda bem que deixou algo... beijos em seu coração!

    ResponderExcluir
  4. Verônica, querida, sempre muito bom estar tão perto de você e de sua poesia.

    beijos

    Clau Assi

    ResponderExcluir
  5. Oi Verônica, seus poemas são marcantes , pois falam sobretudo do amor, este sentimento tão confuso.

    ResponderExcluir
  6. Luiza De Marillac20 de maio de 2009 19:39

    Querida Veronica, um poema revelador e tão forte, em emoções e sensações todas... Como você, sem rastros e grandioso, adorei ler-te. Beijos da sempre amiga, Luiza

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.
Seu comentário é muito importante para mim.