17 setembro 2009

D E S P E D I D A

BelíssimaFotoArte:TâniaReginaCardoso



É a minha despedida
da face da terra,
vou com trombetas de glória
também com canhões de guerra.
E na lápide fria
que ninguém ajoelhe,
não derrame lágrima
por ser minha hora.
Pensem assim:
partindo
a mulher tão inteira,
que viveu como fera,
amou como anjo,
quis ser cancioneira
ou mera corda de um banjo.
Conseguiu de verdade
tropeçar na sombra,
fazer do amor
sua identidade.
Mas vai contente
ao encontro da alma gêmea.
Na terra buscou a luz,
fez grandes amigos - aprendeu a ser gente.
No outro plano quer chegar a mesma fêmea
cheia de encanto que a ele seduz.
E juntos, completarem a história
que tão pouco escreveram.
Reviverem toda a memória,
intensamente sentida
como raros viveram,
nesta e em outra vida...


Veronica de Nazareth-Noic@

7 comentários:

  1. Lindo, lindo , lindo.
    Beijos e um ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  2. E tua luz resplende
    Em cada coração
    Que tem a felicidade
    De sentir-te, Linda Vê!!!

    Versos Eternos, Amada!!!

    Saudades!!! Saudades!!! Saudades!!!
    Vida n'um sem tempo só...
    Não permitindo ansiados vôos!!!

    Beijos, minha Irmã...
    Neste Amoroso Coração!!!
    Iza

    ResponderExcluir
  3. Querida.........
    Existem uns momentos que a gente fica com aquele nó na garganta, com vontade que mil anos passem rápidos. Mas teu poema me fez querer alguma coisa mais satisfazendo minha alma.....
    Te quero bem demais! Algumas conquistas, em especial a amizade, realmente são para sempre!
    Mil beijos, com um carinho demais sincero!
    Bea

    ResponderExcluir
  4. Dona Verônica, já disse uma vez e vou repetir....rssrsr.... Se você morrer eu mato você!!!
    Brincadeiras a parte, mesmo falando em morte tus versos são sempre cheio de beleza genuína. Beeza que tua alma empresta aos teus escritos.
    Você é uma ds poetas mais completas que eu conheço.

    beijos de fã!!
    amor da amiga!!

    Clau Assi

    ResponderExcluir
  5. Fiquei arrepiada! quanta emoção desprende-se destes versos, nem sei o que dizer... só sei o que senti... ABRAÇOS! ENAR DE sOUZA

    ResponderExcluir
  6. *Versos de sábia mente, de alma que não morrerá jamais, pois é feita dos elementos magníficos das profundezas misteriosas da VIDA!
    Embevecida leio-te e aprendo.
    Tua fã e amiga
    Ka*

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.
Seu comentário é muito importante para mim.