14 outubro 2009

Lembras de Mim...?




A camisola púrpura de saudade,

mal acostumada

com a pressa das tuas mãos,

nesse instante repousa

reinante no meu corpo.

E ao sentir

o perfume do jasmim

por todo o quarto

sempre preparado

para o nosso amor,,

à meia-luz,

testemunha um anoitecer

de refúgio nas lembranças.

Tanto quanto eu,

ela quer outra vez

o carinho-amasso das mãos,

as gotas do suor excitante

exigindo abundância

de "águas" do depois

de tantos "ais"

que não mais acontecem.

E pesarosa, meio sarcástica,

cola no meu corpo febril

e apenas pergunta:

Lembras de Mim...?


Veronica de Nazareth-Noic@












8 comentários:

  1. Olá, minha amiga querida!
    Amei teu blog! Muito bom ter mais um cantinho pra te encontrar e me deliciar com teus escritos e com a tua simpática presença de escritora, poetisa, amiga, irmã que tanto admiro e prezo. Tu sabes... te amo! Olha, eu fui ao Planeta pra ver tua entrevista, mas ainda não está na página. Então, vim aqui deixar meu carinho e dizer que mesmo que eu não possa ir lá, pq estou com o filho no hospital de novo, estarei aqui certa de teu sucesso. Tudo o que escreves é lindo e certamente, tua entrevista será muito bela. Beijo, querida!
    Voltarei assim que for possível...

    ResponderExcluir
  2. Tânia IrmãzinhAmada...
    quanta alegria ter-te aqui! Mas amiga, minha entrevista não está no Planeta...rsrs...te enviei o link de acesso...rsrsrs: está no blog nossacasadapoesia.
    Espero que possas ir ler e me saber mais, bem mais"detalhada"...rsrs.Te amo.Bjs

    ResponderExcluir
  3. Vê, que poema sensivel!
    Quanta tristeza ele traz, mas quanta magia há em ter momentos pra se reviver, não é mesmo??
    Triste, belo, Noic@!!
    Tua marca, amada.

    beijosss ternurentos, irmalma. (que tal este apelido?? rsrsrs)

    Clau Assi

    ResponderExcluir
  4. Oi, amor!!! Saudade dessa menina fogosa, encantada,
    descrita nesse poema tão lindo,
    tão cheio de ais.
    As marcas ficam,
    quer sejam tatuadas na alma
    ou enloquecidamente criadas
    no "eu lírico",
    pois o poeta é artesão de versos,
    um manancial de fantasia
    para encantar e encantar-se.
    Adorei, amiga querida!
    Beijo grande da
    Genaura Tormin

    ResponderExcluir
  5. Verônica,
    Vim agradecer a visita, as palavras e dizer que fiquei muito feliz com teu comentário.
    É sinal que estou no caminho certo.

    Obrigado. Bom final de semana.

    Agora já estou no seguidores... lol

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo seu poema, tem um selinho de presente para vc lá no meu, vai buscar, beijocas

    ResponderExcluir
  7. *Intenso jasmim desprende-se dos teus versos.
    Conhecendo mais de ti agora, cada poesia tem um significado maior.
    Cada verso uma nuance encantada de ti.
    Belo! Muito belo...
    Beijo-te com extremo carinho
    Karinna*

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.
Seu comentário é muito importante para mim.