28 junho 2009

N O T U R N O




N O T U R N O


A noite traz silêncio,
pensares - insônia.
Gira corpos sozinhos,
em lençóis de segredo.
Descortina o sentir profundo,
com ou sem fantasmas, coragem ou medo.
(Des) Constrói velho-novo mundo...
Camas além e vazias,
no meio da noite
são fios unindo vontade,
às vezes como açoite.
E na escuridão,
alma em passeio
num voo de liberdade,
já não se é mais apenas um;
somos múltiplos do devaneio.

Veronica de Nazareth-Noic@

5 comentários:

  1. "fios unindo vontade"
    Quisera poder os meus pensamentos
    Sentimentos... Sem a razão!!!
    Amiga... Amada...
    Tanto me dizes
    Que palavras minhas
    Em silêncios se fazem
    E aplaudem teu ser
    No meu sentir!!!

    Amocê, viu...

    Beijo, Linda Vê...
    No teu (qual o meu) coração!!!
    Iza

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso poema, perder-se em fios entrelaçados...lindo demias, beijocas

    ResponderExcluir
  3. Nem sei o que dizer de tão lindas tuas palavras em "Noturno", a noite e seus mistérios... bjs e um abraço carinhoso! Enar de Souza (saudade de ti...)

    ResponderExcluir
  4. “Não Ame tudo que é Belo.
    Mas, faça Belo tudo o que Ama.
    Pois o importante, não é termos tudo o que amamos.
    Mas, sim amarmos tudo o que temos “

    Desejo um bom fim-de-semana!
    Jinhos de Luz

    Namastê!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.
Seu comentário é muito importante para mim.